Resenha: Perfume Jimmy Choo (EDP) – Jimmy Choo

O que o clima e pele não fazem na percepção de um perfume…

Conheci o Jimmy Choo versão Eau de Parfum no final de 2011 em uma época de inverno rigoroso (eufemismo para frio para dedéu!). Como no dia já estava coberta por diferentes perfumes, resolvi experimentá-lo no papel mesmo. O resultado foi bem simples: um perfume gostoso, porém nada que me chamasse muita atenção. Leia mais

Resenha: Perfume Mon Jasmin Noir – Bvlgari

Já fazia um bom tempo que estava muito curiosa para experimentar algum perfume feminino da Bvlgari. Pela beleza e delicadeza de suas jóias, imaginava que as fragrâncias também seriam dessa forma… E pelo visto, a imagem que criei na minha cabeça estava certa.

Mon Jasmin Noir é uma obra de Olivier Polge (colaborador de Flowerbomb e Armani Code) e Sophie Labbe (colaboradora de Organza e Parisienne), lançada em 2011. Possui notas de jasmim, pimenta-rosa, almíscar nougatine, citron dourado, lírio-do-vale, cashmere, cedro e patchouli. Leia mais

Resenha: Perfume Black Opium (EDP) – Yves Saint Laurent

Quando um clássico da perfumaria ganha uma nova versão, sem dúvida ficamos ansiosos e curiosos para saber se a novidade realmente traz algo de novo e, principalmente,  se faz jus ao nome!

O Opium, sem dúvida, foi um perfumão que marcou a década de 80 e que deixou presença marcada na história da perfumaria. Em 2009 ganhou uma repaginada  e passou por uma total reformulação para se adaptar às novas tendências de mercado. Leia mais

Resenha: Perfume Lolita Lempicka

resenha-perfume-lolita-lempicka

Sobre o perfume

Incite o desejo! Você precisa de mais amor do que razão. Em seus olhos, despertar o desejo é uma necessidade. E com desejo vem uma série de emoções …

Fruto da tentação, é uma fragrância cheia de contrastes, onde cada detalhe fala de amor. Sua fragrância é um néctar inebriante de flor aliando acordes de alcaçuz alcaçuz com um forro floral oriental requintado.

Leia mais

Resenha: Perfume Noa – Cacharel

resenha-review-perfume-noa-cacharel

Criado em 1998, Noa tem como proposta ser moderno, porém atemporal. Ele é o momento visionário em todos nós, capaz de fazer com que reencontremos nossa paz interior e sabedoria instintiva. Será mesmo que um perfume consegue proporcionar todas essas maravilhas? Acredite: É a mais pura verdade!

Apesar de ser dos anos 90, nada de já ir deduzindo que ele é “perfume de velho” (olha o preconceito duplo aí!). Diferente dos companheiros de época, que possuíam como característica um aroma bem forte e marcante, Noa consegue ter  sutileza, sendo realmente um perfume perfeito para qualquer ano. Leia mais